Com o objetivo de reduzir os casos de intubação precoce entre pacientes com Covid-19, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Terezinha, em Alagoinhas, passou a contar com uma nova aliada. Trata-se da bolha de contenção, equipamento desenvolvido pelo Senai Cimatec e doado pelo Hospital Regional Dantas Bião.

A partir de agora, a equipe de fisioterapia, junto aos médicos da UPA, passarão a fazer uso da Ventilação Não Invasiva (VNI), técnica que melhora a oxigenação dos pacientes e reduz o risco de complicação respiratória. Assim são menores, também, as possibilidades de infecções.

O uso do equipamento – que possui uma estrutura simples, de material acrílico transparente e tamanhos diferentes para se adequar a adultos e crianças – poderá implicar, ainda, na redução dos riscos de contágio entre os profissionais de saúde que trabalham na linha de frente de combate à pandemia. Isso porque a bolha de contenção evita a contaminação do ambiente por partículas resultantes da tosse ou outras secreções de pacientes com o novo coronavírus.

A insuficiência respiratória aguda – conforme lembra a fisioterapeuta líder da UPA de Santa Terezinha, Grasiele Faro – está entre os principais problemas apresentados por pessoas com sintomas graves do novo coronavírus. “O uso da VNI vem ganhando espaço nas unidades e serviços de atendimento para casos de Covid-19. Hoje, não há dúvidas de que essa técnica, em grupos selecionados de pacientes, é responsável pela diminuição da necessidade de intubação, mortalidade e custos do tratamento. Alguns estudos mostraram que o uso de terapias não invasivas reduz em até 61% a necessidade de intubação do paciente com complicações pulmonares decorrentes do coronavírus”, conta.

De acordo com ela, a bolha de contenção é um recurso utilizado para conter o aerossol produzido durante a aplicação da VNI: “com potencial capacidade para eliminar ou minimizar a disseminação viral”.

UPA de Santa Terezinha

Em atendimento exclusivo para pacientes com suspeita e/ou confirmação do novo coronavírus, a UPA de Santa Terezinha, em Alagoinhas, registrou, nos últimos três meses, um aumento de 291,46% na média de atendimentos realizados. No mesmo período, houve crescimento de 51% na média de testagem, com teste rápido e do tipo RT-PCR, no local.

Se até novembro de 2020, a média mensal de atendimentos na UPA de Santa Terezinha era de 386,5, a realidade atual é bem diferente, já que os meses de dezembro de 2020 e janeiro e fevereiro de 2021 fecharam com a média de 1513 atendimentos ao mês. Outro indicador que também sofreu alteração foi o de internamento: antes do último mês de dezembro, havia média mensal de 39,3. De dezembro em diante, o número passou para 28,7.

Inaugurada em 29 de abril do ano passado, a UPA de Santa Terezinha é a única unidade de complexidade intermediária da cidade de Alagoinhas, a 118 km de Salvador. É administrada pela organização social Instituto 2 de Julho.